Microsoft Web PI – Microsoft Web Platform Installer

A Microsoft lançou uma nova ferramenta que agrega diversas instalações de aplicativos para web em um só pacote chamado de Microsoft Web Platform Installer.

web-PI

Visando facilitar a vida do desenvolvedor web, este pacotão inclui a instalação de maneira rápida e fácil de diversos aplicativos. Ao selecionar os programas inicia a instalação baixando os dados direto dos servidores do Microsoft. A mesma técnica usada pela família “Windows live” onde não conta mais um instalador de cada software.

instalacao

No pacote contém ferramentas das mais variadas aplicações com:

Mojo Portal
http://www.mojoportal.com/

O mojoPortal é bastante flexível, contém diversas funcionalidades que os bons gerenciadores de conteúdo possuem, como recursos para blogs, fóruns, galerias de imagens, enquetes e etc. Nos quesitos técnicos, o sistema oferece suporte a múltiplas skins (temas de aparência), suporte a CSS e Master Pages, Globalization (multi-idiomas), código escrito utilizando as melhores técnicas de desenvolvimento na poderosa linguagem C#.

NopCommerce
http://nopcommerce.com/

Sistema de E-commerce desenvolvido em Asp.net

SugarCRM
http://www.sugarforge.org/

O SugarCRM é um produto de CRM corporativo com módulos para gerenciamento de empresas e divisões, contatos, prospects, oportunidades, ocorrências, campanhas de marketing, projetos, documentos, agenda e histórico. Sendo um produto open source, é distribuído gratuitamente na versão Sugar Community Edition.

O Web PI contempla a facilidade dando uma grande agilidade na instalação dos softwares desejados.

FCKEDITOR: um poderoso editor WYSIWYG

Sabemos que diversas áreas estão convergindo no uso da web. Por isso a necessidade de ferramentas que auxiliem este público para a execução de seus trabalhos. O FCKEDITOR pode ser implementado em diversas linguagens, como por exemplo ASP.Net, ASP, ColdFusion, PHP, Java etc., e visto também em alguns SGC’s Drupal e Joomla. Neste artigo utilizarei a linguagem ASP, dando assim um foco melhor.

No primeiro passo vamos baixar os códigos fontes em http://www.fckeditor.net/download. Escolha a versão FCKeditor_2.6.4.zip, extraia em uma pasta especifica, por exemplo “fckeditor”, assim seus arquivos irão ficar melhor organizados.

Os arquivos principais que utilizaremos serão fckconfig.js e fckeditor.asp.

fckconfig.js

Esta parte do código representa a barra de ações da caixa de texto formada pela ferramenta.

FCKConfig.ToolbarSets[“Default”] = [
[‘Source’,’DocProps’,’-‘,’Save’,’NewPage’,’Preview’,’-‘,’Templates’],
[‘Cut’,’Copy’,’Paste’,’PasteText’,’PasteWord’,’-‘,’Print’,’SpellCheck’],
[‘Undo’,’Redo’,’-‘,’Find’,’Replace’,’-‘,’SelectAll’,’RemoveFormat’],
[‘Form’,’Checkbox’,’Radio’,’TextField’,’Textarea’,’Select’,’Button’,’ImageButton’,’HiddenField’],
‘/’,
[‘Bold’,’Italic’,’Underline’,’StrikeThrough’,’-‘,’Subscript’,’Superscript’],
[‘OrderedList’,’UnorderedList’,’-‘,’Outdent’,’Indent’,’Blockquote’,’CreateDiv’],
[‘JustifyLeft’,’JustifyCenter’,’JustifyRight’,’JustifyFull’],
[‘Link’,’Unlink’,’Anchor’],
[‘Image’,’Flash’,’Table’,’Rule’,’Smiley’,’SpecialChar’,’PageBreak’],
‘/’,
[‘Style’,’FontFormat’,’FontName’,’FontSize’],
[‘TextColor’,’BGColor’],
[‘FitWindow’,’ShowBlocks’,’-‘,’About’] // No comma for the last row.
] ;

FCKConfig.ToolbarSets[“Basic”] = [
[‘Bold’,’Italic’,’-‘,’OrderedList’,’UnorderedList’,’-‘,’Link’,’Unlink’,’-‘,’About’]
] ;

fckeditor.asp

Definimos o trecho abaixo de código com estes novos dados. Aqui é definido o diretório base, tamanho da área do editor e também o tipo de barra formada, podendo variar entre Default ou Basic mostrado anteriormente no arquivo fckconfig.js

Private Sub Class_Initialize()
sBasePath = “”
sWidth = “800”
sHeight = “400”
sToolbarSet = “Default”
sValue = “”

Na segunda alteração do arquivo fckeditor.asp iremos mudar a linha 98 para o caminho fckeditor/editor/

Public Function CreateHtml( instanceName )
dim html

If IsCompatible() Then

Dim sFile, sLink
If Request.QueryString( “fcksource” ) = “true” Then
sFile = “fckeditor.original.html”
Else
sFile = “fckeditor.html”
End If

sLink = sBasePath & “fckeditor/editor/” & sFile & “?InstanceName=” + instanceName

If (sToolbarSet & “”) <> “” Then
sLink = sLink + “&amp;Toolbar=” & sToolbarSet
End If

Iremos agora fazer a chamada deste arquivo fckeditor.asp em uma página asp com formulário simples.

<!DOCTYPE html PUBLIC “-//W3C//DTD XHTML 1.0 Transitional//EN” “http://www.w3.org/TR/xhtml1/DTD/xhtml1-transitional.dtd”>
<%@ codepage=”1252″ language=”VBScript” %>
<!– #include file=”fckeditor/fckeditor.asp” –>
<html xmlns=”http://www.w3.org/1999/xhtml”>
<head>

<title>Untitled Document</title>
</head>

<body>
<form action=”recebe.asp” method=”post”>
Título:
<input name=”titulo” type=”text” size=”40″ />
<br />
Notícia: <br />
<%
Dim oFCKeditor
Set oFCKeditor = New FCKeditor
oFCKeditor.BasePath = “”
oFCKeditor.Value = “”
oFCKeditor.Create “TX_Noticia”
%>
<br /><br />
<input name=”enviar” type=”submit” value=”Enviar” />
</form>
</body>
</html>

O seguinte código <%@ codepage=”1252″ language=”VBScript” %> serve para retirar os erros de acento dentro do campo do editor.

Veja também em
http://imasters.uol.com.br/artigo/12084/desenvolvimento/fckeditor_um_poderoso_editor_wysiwyg/

fckeditor

FCKConfig.ToolbarSets["Default"] = [
        ['Source','DocProps','-','Save','NewPage','Preview','-','Templates'],
        ['Cut','Copy','Paste','PasteText','PasteWord','-','Print','SpellCheck'],
        ['Undo','Redo','-','Find','Replace','-','SelectAll','RemoveFormat'],
        ['Form','Checkbox','Radio','TextField','Textarea','Select','Button','ImageButton','HiddenField'],
        '/',
        ['Bold','Italic','Underline','StrikeThrough','-','Subscript','Superscript'],
        ['OrderedList','UnorderedList','-','Outdent','Indent','Blockquote','CreateDiv'],
        ['JustifyLeft','JustifyCenter','JustifyRight','JustifyFull'],
        ['Link','Unlink','Anchor'],
        ['Image','Flash','Table','Rule','Smiley','SpecialChar','PageBreak'],
        '/',
        ['Style','FontFormat','FontName','FontSize'],
        ['TextColor','BGColor'],
        ['FitWindow','ShowBlocks','-','About']          // No comma for the last row.
] ;

FCKConfig.ToolbarSets["Basic"] = [
        ['Bold','Italic','-','OrderedList','UnorderedList','-','Link','Unlink','-','About']
] ;

Novo álbum do Dead Fish

capa_contra_todos
Prometendo ser um dos maiores lançamentos nacionais para 2009, o “Contra Todos”, novo CD do Dead Fish, previsto para chegar as lojas na segunda quinzena de fevereiro já está agitando os roqueiros devido a duas músicas disponíveis para escutar gratuitamente.

Com 18 anos de estrada, a banda capixaba de hard core melódico está há dois anos sem lançar repertório inédito, e lançará seu sexto álbum com melodias rápidas e letras diretas, com alto teor crítico.

O CD, cuja produção é novamente de Rafael Ramos, trará 14 músicas inéditas, como a faixa que dá nome ao disco, “Descartáveis”, “Armadilhas Verbais”, “Autonomia”, “Venceremos”, além de “Shark Attack”, hardcore cantado em inglês, como a banda fazia no início da carreira.

http://www.deadfish.com.br

Faixas do CD
1 – Não
2 – Autonomia
3 – Venceremos
4 – Quente
5 – Subprodutos
6 – Asfalto
7 – Contra Todos
8 – Shark Attack
9 – A Dialética
10 – O Melhor Exemplo Do Que Não Seguir
11 – Descartáveis
12 – Tupamaru
13 – Armadilhas Verbais
14 – Piada Liberal

Utilizando arquivos Access (.mdb) no seu Linux

Introdução e instalação do mdbtools

Em Linux enfrentamos diversas dificuldades relacionadas a migração para este maravilhoso sistema operacional, estas provindas de diversas formas e relacionadas a problemas com alguns aplicativos e até mesmo pela acomodação dos usuários de sistemas proprietários.

Em um dia me deparei com um problema deste, para migração do sistema havia uma necessidade de utilizar arquivos no formato (.mdb) Access dentro do Linux, pesquisei e encontrei uma simples dica informando de uma ferramenta chamada MDBTOOLS, um programa que tornava acessível arquivos (mdb) no Linux.

Pesquisando um pouco mais sobre esta ferramenta encontrei outra chamada GMDB2, sendo ela em módulo gráfico. Ótimo, agora teria as ferramentas certas para consolidar a minha migração.

MDBTOOLS é um programa onde conseguimos visualizar arquivos (mdb) com comandos da linguagem SQL. Esta é utilizada em modo console, sendo que sua utilização é totalmente focada em linhas SQL.

Instalação

Vamos aos passos para a instalação, nesta focarei distribuições baseadas em Debian, utilizando o apt-get. E para usuários que utilizam outras distribuições, disponibilizo os links para os sources.

Downloads

Homepage:
http://mdbtools.sourceforge.net

Tar/GZ:
http://prdownloads.sourceforge.net/mdbtools/mdbtools-0.5.tar.gz

RPM package:
http://prdownloads.sourceforge.net/mdbtools/mdbtools-0.5-1.i386.rpm

Dentro do seu console digite:

# apt-get update

Com a sua lista atualizada, digite o seguinte:

# apt-get install mdbtools

Pronto, neste momento a ferramenta MDBTOOLS está instalada em seu sistema.

gmdb2

Utilizando o programa

Procure um arquivo no formato (mdb) que você conheça a estrutura e de preferência que este esteja com conteúdo para fazer os testes.

Iniciando o programa. No console digite:

$ mdb-sql sua_base_de_dados.mdb

Aparecerá o seguinte:

1 =>

Agora digite:

list tables

e depois:

go

Com o comando acima ele retornará a listagem das tabelas contidas na sua base de dados.

Neste momento você pode utilizar comandos SQL para fazer suas consultas:

Digite na frente do 1 =>:

SELECT * FROM SUA_TABELA

OBS: Procure sempre utilizar o seu SELECT filtrando alguns campos para não tornar sua consulta pesada:

SELECT campo1, campo2 FROM SUA_TABELA

e depois:

GO

Uma listagem com o conteúdo desta tabela foi impressa na sua tela. Para sair do programa, utilize o comando:

QUIT

Outra ferramenta integrada ao mdbtools é a schema, onde monta a estrutura em SQL pronta para ser exportada, o comando fica assim:

$ mdb-schema BASE_DE_DADOS.MDB

Agora apresentarei a ferramenta GMDB2, onde estes comandos são utilizados em forma gráfica.

Instalação e utilização do GMDB2 (gráfico)

O GMDB2 tem a função de apresentar em uma forma gráfica os dados contidos nos arquivos Access (.mdb), sua interface é esta abaixo.

Instalação

Seguindo os mesmos passos da instalação do MDBTOOLS, focarei distribuições baseadas em Debian.

Primeiro passo vamos atualizar a lista do apt-get:

# apt-get update

Com a lista atualizada, vamos fazer a instalação do GMDB2 com o seguinte comando:

# apt-get install mdbtools-gmdb

Depois de instalado digite:

$ gmdb2

Na janela do GMDB2 vá em Arquivo >> abrir e escolha o mdb.

Agora suas tabelas estão visíveis.

Clique com o botão direito em cima da tabela e aparecerá um sub menu com o seguinte:
Definition – que apresenta a estrutura da tabela;
Data – lista todo o conteúdo da tabela;
Export – ferramenta de exportação;
Debug – usado para encontrar erro no (mdb).

Além destas, temos o SQL WINDOW no menu TOOLS, onde utiliza comandos SQL para fazer diversas listagens nas tabelas.

Conclusão
Visto os dados apresentados, as soluções dentro do mundo open source existem e devem ser buscadas incansavelmente em todos os meios que possibilitem estas informações.

Agradecimentos

Gostaria de agradecer à todos desta comunidade, principalmente ao Fábio Berbert de Paula, idealizador deste centro de conhecimento e a todos que me ajudaram nesta caminhada no mundo open source.

http://www.vivaolinux.com.br/artigo/Utilizando-arquivos-Access-(.mdb)-no-seu-Linux/